As dores da alma doem mais que as dores físicas

Você tem alguma dor que ainda carrega em sua alma desde sua infância? Uma dor tão dolorida que cada vez que fica sozinho consigo mesmo a sente como se fosse hoje?  Uma dor tão silenciosa que ecoa dentro do seu mental e pulsa no seu coração a ponto de fazer tremer seu corpo todo?

Daquelas iguaizinhas os tapas injustos de seus pais quando o que você mais desejava era apenas um momento de atenção?

Era uma tarde chuvosa de domingo e sair para brincar com o irmãozinho no quintal não era possível. Ficar dentro de casa já estava bem cansativo e, juntos, você e seu irmão, pegaram o giz de cera e pintaram um lindo desenho na parede da sala. O que mais esperavam eram as palavras de afirmação e de seus pais. Quando terminaram de pintar a última flor do jardim na parede, olharam apreensivos um para o outro e chegaram à conclusão de que aquilo não havia sido uma boa idéia e que, com certeza, iria render boas palmadas. Decidiram, então, ficarem quietos até que alguém percebesse a façanha. Pegaram um pacote de bolacha recheada e voltaram para frente da TV assistir mais um desenho animado e quando menos esperavam… gritos! Gritos tão fortes que estremecia toda a casa. Era o papai. Furioso ao ver a pintura na parede. Parecia mais um dinossauro gritando e quando olharam para trás viram ele, enorme, se aproximando… com um enorme chinelo de dedos na mão para acertar os dois.

Conclusão… violência. Marcas que ficaram eternizadas na alma. Sim… porque a dor passou rapidinho. Mas aquela cena pavorosa e os gritos tenebrosos podem ser lembrados com clareza até hoje, 20 anos depois.

Já parou para pensar se a história, de alguma maneira, em menor ou igual proporção, tem se repetido na sua casa? Você tem sido o dinossauro que seus pais foram para você? Ou tem protegido seus filhos e os tratado com respeito e amor? Atos de violência e falta de diálogo geram traumas que serão carregados por toda uma vida e, lá na frente, o adulto sem sucesso, que não consegue se relacionar bem com seus colegas de trabalho ou com seus cônjuges e filhos, é fruto do seu comportamento espelhado nas atitudes impensadas do passado.

É tempo de mudança, de reflexão, de fazer o seu melhor e plantar a semente do amor. De plantar um adulto com inteligência emocional, equilibrado e, consequentemente, bem sucedido em todos os sentidos de sua vida. Cabe a vocês, pais, direcionarem seus filhos e torcerem por seus futuros brilhantes, livres de traumas e dores. A dor da alma é a pior dor que pode existir. É esta dor que gera doenças de fruto emocional e que inexplicavelmente surgem e não se curam de maneira alguma. Portanto, sejamos luz na vida de nossos filhos!

Namastê!

Letícia Giassetti Canal

Letícia Giassetti Canal

Letícia Canal é Coaching de Vida especializada pela Polozi Coaching e Abracoaching e Jornalista desde 1999.
Letícia Giassetti Canal

Últimos posts por Letícia Giassetti Canal (exibir todos)

Categorias: Coaching

Tags: ,,,