Turismo
Tendência

Erg Chebbi

Uma maravilha no meio do deserto

Escrever essa matéria é reviver a felicidade de meus preciosos momentos nas dunas do Deserto do Sahara, no Marrocos, na divisa com a Argélia. Fantasia de criança, não de todas (a grande maioria sonha em ir pra Disney beijar o Mickey), mas das mais ousadas, o sonho de andar de camelo, dormir numa tenda nômade e sentir o calor do sol refletido pelo tom alaranjado das areias da África foi, sem dúvida alguma, a concretização de mais um de meus sonhos. A cultura árabe sempre me fascinou pelos seus mistérios, cores e aromas. O receio do desconhecido (costume, língua, trajes, cultura) fez desse passeio uma grande experiência de vida.
Erg significa conjunto de dunas e Erg Chebbi, também conhecida como Dunas de Merzouga, é o maior conjunto do Sahara. Tem 5km por 22km de extensão e com 150m de altura. A pequena aldeia berbere de Merzouga fica próxima ao local e a Argélia está apenas a 20km. A cidade serve de base para os passeios do deserto como 4X4, andar de camelo, acampamento nas dunas e os banhos de areia terapêuticos que consiste em se enterrar até o pescoço na areia em pleno verão e que pela tradição berbere, este ato invoca a longevidade. Algumas cidades na rota também são interessantes, como Tinerhir e Erfoud. A estrada entre Erfoud e Merzouga requer um veículo 4×4 e deve ser evitada durante as tempestades de areia, que podem ocorrer em qualquer época do ano.

Passeio no Sahara – Após contratar um tour particular que sai de Fez com destino a Marrakech, passando pelas montanhas Atlas, recomendo a hospedagem no Hotel Kasbah Erg Chebbi, último local antes de adentrar pelo Sahara. Ali os camelos já esperam pelos turistas ao cair da noite. Após uma hora caminhando sob a luz da lua e das estrelas, em cima de um camelo (o meu batizei de Little Boy) chega-se ao acampamento muito bem estruturado. Nesse caminho, o celular do rapaz que nos guiava tocou.

Isso mesmo, um celular toca no meio do deserto do Sahara e às vezes nossas operadoras nos deixam na mão em pleno centro da cidade. As tendas nômades são equipadas com muitos tapetes e almofadas para dormir e sentar-se a mesa improvisada. Um delicioso jantar é servido, com direito a entrada, prato principal, chá de menta e frutas de sobremesa. Raramente acontece uma apresentação musical dos tuaregs, os povos do deserto e tive a sorte de presenciar isso nessa noite tão surreal, uma verdadeira batucada inebriante em volta a fogueira, com o céu dando um espetáculo de estrelas cadentes. Não tem como descrever todas as sensações do momento. A dança, a música, o calor da fogueira esquentavam a noite fria do deserto.

Etiquetas

Lilian Inácio

Arquiteta Urbanista formada na UNESP, membro da diretoria da AEB, co-fundadora e membro da diretoria e da UNIARC, membro da Associação Brasileira de Sommeliers, colaboradora com 03 revistas na cidade de Botucatu, colunista do Jornal Diário da Serra (mais de 40 mil leitores), colaboradora da rede de Jornal Bom Dia (Bauru e São José do Rio Preto), diretora da Solutudo Itatiba, apaixonada pelas artes desde criança, Lilian Inacio já se dedicou aos estudos de línguas, enologia, música e dança e sua grande paixão é o mundo e suas diferentes culturas. Viajante por hobby, nos últimos 08 anos a arquiteta esteve em mais de 150 lugares diferentes no mundo distribuídos em 16 países, com exceção das viagens pelo Brasil. Com o olhar e a sensibilidade de uma arquiteta, Lilian comentará sobre alguns lugares especiais e seu povo, sua cultura, o que visitar de interessante, suas construções mais importantes, os costumes locais, as comidas e bebidas típicas. Seu objetivo é trazer um pouco do que existe neste mundo tão grande aos seguidores do ClickItatiba para que todos possam viajar juntos com a leitura dessas matérias com informações confiáveis e pessoais.
Fechar
Fechar