BrasilNoticiasSaúde

Vacinação contra coronavírus caminha a passos lentos no Brasil

Especialistas destacam importância e segurança das vacinas já aprovadas

Prestes a completar um mês desde o início da campanha de vacinação contra a Covid-19 no País, muitas dúvidas ainda cercam o tema.  A ansiedade em receber o imunizante se soma à desinformação sobre o assunto, o que gera medo em parte da população. O que se sabe é que a vacinação é crucial para frear a pandemia.

Antes de chegar à população, esses produtos passam pesquisas e estudos não clínicos, incluindo testes em animais. Então, o imunizante passa por três fases de estudos, o que inclui testes em humanos. Após isso, os dados são enviados para a Anvisa, órgão que decide pelo registro da vacina.

Porém, há a possibilidade de se pedir o uso de autorização emergencial dos imunizantes, situação que ocorreu comas duas vacinas disponíveis atualmente no Brasil – CoronaVac e vacina de Oxford.  A autorização emergencial tem um prazo de 10 dias para ser julgada pela Anvisa. O registro definitivo é um processo mais demorado.

Hemerson Luz, médico infectologista, garante que a população pode ficar tranquila quanto à eficácia das vacinas que são aprovadas pela Anvisa. “Todas as vacinas só chegam à população após diversos testes que comprovam a segurança e eficácia. A segurança é de que a vacina não pode causar mal às pessoas imunizadas. E a eficácia está relacionada à capacidade de impedir que um grande número de pessoas fique doente após a vacinação”, explica.

Não há contraindicação de imunização contra a Covid-19 em pessoas que já foram infectadas pelo vírus. A CoronaVac e a vacina de Oxford são aplicadas em duas doses, para que se alcance a eficácia esperada nos testes desses imunizantes. A CoronaVac possui eficácia geral de 50,38% e a vacina de Oxford, 82%.

No Brasil, até a última quinta-feira (11), cerca de 4,5 milhões de pessoas tinham se vacinado contra o coronavírus, o que representa apenas 2,16% da população.

José Cássio de Moraes, médico epidemiologista e professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, destaca a importância da vacinação contra o coronavírus, mas ressalta que o baixo índice verificado no País dificilmente terá impactos na pandemia.

“A nossa cobertura vacinal não chega nem a 3% da população. Com isso, não se espera nenhum impacto no número de casos e óbitos do coronavírus.  Precisamos atingir um nível de cobertura bem mais elevado, entre 60% e 70%, para se ter uma queda na incidência e mortalidade.”

Pandemia estimulou setores econômicos relacionados ao “novo normal”

Ministério

Na última quinta-feira (11), o ministro da Saúde, Eduardo Pazzuelo, disse que em breve o Brasil estará entre as nações com mais imunizados no mundo. A declaração foi dada em sessão do Senado, em que o titular da pasta deu explicações sobre a atuação do governo federal na pandemia. Segundo ele, toda a população brasileira estará vacinada contra o coronavírus até o fim do ano.

Neste momento, estão sendo vacinados trabalhadores de saúde, idosos, indígenas aldeados e pessoas com deficiência que vivem em instituições de longa permanência, conforme o Plano operacional da vacinação contra a Covid-19 definido pelo governo federal.

Fonte: Brasil 61

Redação ClickItatiba

Portal de variedades e cobertura de eventos de Itatiba e região, no ar desde 2004 e ainda Culinária, Comportamento, Turismo, Cultura, Música.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.