Notícias Corporativas

STF deixa “Revisão da Vida Toda” próxima de ser aprovada

A aprovação de uma nova regra no início do mês, por parte do Supremo Tribunal Federal (STF), garantiu que votos de ministros aposentados proferidos em julgamento em plenário virtual e que foram destacados para plenário físico continuem válidos. A alteração, aprovada por oito votos a um, após uma questão de ordem proposta pelo ministro Alexandre de Moraes, terá impacto direto – e positivo – no julgamento da chamada “Revisão da Vida Toda”, em uma vitória para os aposentados e pensionistas do INSS.

A “Revisão da Vida Toda” é um tipo de revisão que tem por objetivo possibilitar aos aposentados e pensionistas a inclusão no cálculo do benefício todas as contribuições realizadas ao longo da vida laboral – e não apenas aquelas feitas a partir de julho de 1994. O imbróglio com este julgamento ocorreu pelo fato de que, mesmo após todos os magistrados apresentarem seus votos, definindo a votação pelo placar de 6 a 5 a favor dos aposentados, o ministro Nunes Marques pediu destaque do plenário virtual, determinando que a sessão fosse reiniciada no plenário físico.

A manobra, de acordo com especialistas do meio jurídico, se deu para que o voto – a favor dos pensionistas e aposentados do INSS – do então relator Marco Aurélio Mello fosse, de acordo com o entendimento vigente, descartado, possibilitando que o novo ministro André Mendonça, designado como novo relator do processo, pudesse votar  – e alterar o placar. A mudança de regra, contudo, fez com que o voto de Marco Aurélio Mello não pudesse mais ser alterado.

Na discussão da Corte a respeito da possibilidade de que julgamentos já definidos pudessem ser mudados com o voto de ministros que eventualmente tenham substituído magistrados aposentados, o ministro Alexandre de Moraes avaliou que o plenário virtual é um “avatar” do físico, determinando, portanto, que as decisões tomadas ali tenham o mesmo efeito, não havendo necessidade de o assunto ser rediscutido.

Em efeitos práticos, os ministros ainda precisam decidir, numa sessão administrativa, o que fazer com os julgamentos destacados depois de todos os votos proferidos no plenário virtual. Há, agora, duas possibilidades: o julgamento ser declarado encerrado, ou reiniciado no plenário físico computando-se o voto do ministro Marco Aurélio. Em ambos cenários, porém, a tendência é de que a decisão a favor dos aposentados predomine. 

Para João Adolfo de Souza, proprietário da João Financeira, portal de notícias focado em informações para beneficiários do INSS, a decisão que do STF que tende a preservar a vitória dos aposentados e pensionistas do INSS é uma grande conquista não só para os beneficiários da “Revisão da Vida Toda”, mas para a sociedade brasileira de forma geral. “É uma grande vitória. Se cabe à Justiça ser, de fato, justa, então nada mais correto do que a ‘Revisão da Vida Toda’ ser aprovada”, disse. 

O empresário sabe que a aprovação pode enfrentar resistência por parte do governo federal, mas “como os beneficiários contribuíram com o INSS, nada mais justo do que eles receberem um salário justo conforme suas contribuições”. 

João afirma torcer para que a definição sobre a questão não tarde para acontecer. “Sabemos que a situação do beneficiário do INSS hoje em dia é muito complexa e um salário mais justo vai ajudar a enfrentar esse aumento no preço dos produtos pós-pandemia”, conclui. 

Para mais informações, basta acessar: https://www.joaofinanceira.com.br/blog/ ou assistir vídeos sobre o tema no canal do Youtube: https://www.youtube.com/joaofinanceira

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.